Madeira de demolição: de antigas construções a nobres projetos

Madeira de demolição: de antigas construções a nobres projetos

Proveniente de antigas construções, a madeira de demolição é um material retirado de portas, janelas, pisos, mesas, cadeiras e outros componentes reciclados. Feita com matéria-prima nobre, como pinho-de-riga, perobinha do campo, peroba rosa e graúna, ela proporciona um toque rústico a paredes, pisos, mesas, painéis para televisão, lareiras, molduras de janelas, entre outras aplicações.

 

CONCEITO

Quanto mais velha, melhor será a madeira. Isso porque é com o tempo que o material deixa de envergar, ressecar e empenar. Mas é preciso atenção na hora da compra: uma vez que cresce a probabilidade de a matéria-prima apresentar bitolas diferentes, mais furos de pregos e ranhuras. Em contrapartida, a madeira de demolição apresenta boa resistência ao ataque de cupins e à exposição a intempéries.

 

COMERCIALIZAÇÃO

A matéria-prima costuma ser comercializada pelas próprias demolidoras, que separam o material para reúso após a reforma de um imóvel. O preço é considerado alto, chegando a custar quase o dobro da madeira comum. Há empresas que preparam o material para uma nova utilização enquanto outras comercializam o lote fechado da demolição. Essa segunda opção, geralmente, proporciona uma perda de 15% a 30% de material devido à presença de peças deterioradas.

 

RESTAURAÇÃO

O restauro da madeira é feito com jateamento de água em alta pressão e, após a secagem, ocorre o aplainamento. Depois disso, o corte e a projeção dos encaixes são feitos conforme o uso previsto. É indicada, ainda, a aplicação de resina à base de água para proteger a madeira. A solução não mancha em contato com o material, é inodora e dispensa o uso de enceradeira. É possível optar pela cera com toque aveludado ou pela fosca (a que menos altera seu aspecto natural).

Últimas Notícias